É fácil diferenciar um supositório de um enema: o primeiro é sólido e o segundo é líquido. Além disso, depois de colocado, o supositório fica parado no canal anal, enquanto que o enema é uma solução líquida que é introduzida no reto através do ânus, como se fosse uma lavagem, podendo atingir até mais que o reto inteiro.
O enema não é indicado para todos os pacientes. Normalmente, receita-se esse tratamento para pacientes que têm a inflamação do intestino localizada no reto e atingindo também um pouco do cólon. Ao invés de indicar a medicação via oral, o médico pode dar somente a medicação tópica. O paciente pode ou não ter medicação via oral e o médico só escolhe um ou outro tipo conforme a extensão da doença no paciente. Se for mais extensa, ele pode indicar a associação da medicação via oral com a tópica.
Médicos lembram que, na doença de Crohn, é muito raro esta medicação ser útil, a não ser que a manifestação da doença seja única e exclusivamente retal, o que não é freqüente. A medicação tópica pode ser indicada também para quem tem retites e proctites, que são processos inflamatórios do reto e do canal provocados por outras doenças que não as inflamatórias intestinais.
A aplicação da medicação tópica é fácil e por tempo curto: de 2 a 4 vezes ao dia pelo período de 3 a 5 dias. O medicamento também é encontrado no mercado com facilidade e o mais utilizado é o de Mesalazina. O problema é fazer as pessoas usá-lo. Muitas vezes, os pacientes que começam esse tipo d etratamento acabam desistindo. Até por uma questão de cultura, muitos deles costumam ter certa repugnância ao uso de medicação tópica via retal, considerando-a constrangedora.
Mais fácil para uns, nem tanto para outros, o fato é que a medicação tópica melhora o quadro do paciente, quando este está com sintomas indesejados. Mas atenção: não são todos os pacientes que podem usar essa medicação. É o caso daquele que tem uma lesão anal, como fissura , e outros com Crohn, que podem ter a manifestação da doença ao redor do ânus.
Sendo assim, eles não conseguem usar a medicação porque sua aplicação provoca dor. A medicação tópica também não é muito indicada, por motivos óbvios, para pacientes que apresentam incontinência retal e têm um número de evacuações alto que não conseguem reter o líquido do enema ou o próprio supositório.

Revista ABCD em Foco - Ano XI nº 47 - Primavera 2011